Limites - Disciplina

A razão pela qual o cérebro das crianças precisa de limites e regras


O tópico dos limites muitas vezes leva ao debate e polêmica no campo da educação. Ao falar sobre este assunto, nossas crenças sobre nossos próprios limites e seus benefícios entram em jogo, embora também sejamos condicionados por nossas experiências como filhos e filhas que fomos e, mesmo, geralmente levamos em conta experiências próximas de, por exemplo, tentativas fracassadas de questão de estabelecer limites.

Bem, aqui está a grande notícia: todas as crianças precisam de limites e regras para se desenvolver de forma saudável e feliz em todas as áreas de suas vidas. Na verdade, é sobre uma necessidade do cérebro da criança para que nossos pequenos sejam felizes. O mais importante sobre isso é que os limites devem ser claros e ter consistência e bom senso. Acrescento também, embora certamente muitos de vocês já saibam, que é uma das tarefas mais árduas em nossa profissão de mães e pais.

O neuropsicólogo espanhol e doutor em psicologia Álvaro Bilbao afirma que existe toda uma região do cérebro dedicada exclusivamente a estabelecer limites, para aplicá-los e ajudar as pessoas a tolerar a frustração de obedecê-los. Além disso, acrescenta que esta região, a chamada pré-frontal (aquela que colocamos na nossa 'testa'), é a mais importante para alcançar a felicidade.

E é que o córtex pré-frontal é responsável, entre outros aspectos, por:

- Trabalho para a internalização das regras
Tanto as regras de casa, as do trabalho, as da escola, as de um jogo, as do supermercado ou as do trânsito rodoviário.

- Ativar autocontrole
Será o córtex pré-frontal que atua como um filtro de autocontrole, de modo que nosso cérebro mais primitivo não é aquele que age, por exemplo, batendo ou quebrando algo quando estamos com raiva.

- Planejar e organizar tarefas
Por exemplo, quando você precisa fazer o dever de casa, pegar os brinquedos do quarto ou preparar uma festa de aniversário.

A vida, quase sem se dar conta, nos impõe limites, por exemplo, no carrinho quando dirigimos, e isso não é negociável em hipótese alguma. Da mesma forma, devemos colocando limites em nossos filhos e filhas: de forma consistente e sem desejos pela nossa parte. Ou seja, se a televisão não for assistida depois do jantar, ela não será vista, mesmo que a criança esteja insuportável e para não ouvi-la ligue a TV.

Os limites devem ser definidos a partir do momento em que o bebê nasce. Devemos ter em mente que quando o bebê mora no intestino da mãe, ele não tem nenhum tipo de limite; você não os conhece porque não existem. Porém, uma vez que nasce, as regras começam e então os limites virão: Ele pode ter que esperar alguns minutos até que a comida possa ser dada ou trocada, mesmo que proteste por estar desconfortável, mesmo quando for pego pode querer se jogar no chão ou se virar, mas agora não é o momento e será o Um adulto que, com gentileza e firmeza (como bem nos ensina a disciplina positiva), lhe ensina o limite.

Aqui estão algumas dicas para ajudá-lo a definir os limites:

1. Não demore a definir um limite se considerar que um comportamento é impróprio ou achar que pode ocorrer.

2. Evite, se puder, uma ação que considere inadequada. Isso pode ser mais eficaz do que corrigi-lo posteriormente.

3. Os limites definidos são válidos para sempre. Mesmo que o comportamento inadequado aparentemente tenha desaparecido, ele pode ocorrer novamente.

4. É preciso haver acordo entre os adultos, ou seja, ambos os pais ou adultos que moram na casa devem ter clareza sobre os limites e cumpri-los.

5. Propor limites da tranquilidade, isto é, o limite não é definido pela raiva ou raiva.

6. Sempre use o confiança e carinhoporque são o que as crianças precisam. Os pequenos devem saber que os estamos guiando no caminho certo.

Mães e pais, não tenham medo de estabelecer limites. Bem utilizados são necessários para o bom desenvolvimento de nossos filhos e filhas.

Você pode ler mais artigos semelhantes a A razão pela qual o cérebro das crianças precisa de limites e regras, na categoria Limites - Disciplina presencial.

Vídeo: 7 DICAS PARA ACABAR COM AS BIRRAS - Paizinho, Vírgula! (Outubro 2020).