Valores

O problema das crianças hoje é a ausência de valores


Quanto mais cedo percebermos o que está acontecendo com nossos filhos, melhor. Não existe passado melhor ou futuro pior. Existe um presente e é o que temos. Nem melhor nem pior, diferente. Antes eram as brigas de gangues e as notas ameaçadoras na mochila. Agora, as brigas no chat de uma rede social, mesmo em grupos privados. Antes, as revistas 'adultas' ficavam escondidas sob o colchão. Agora, eles observam cenas 'picantes' em videoclipes (às vezes às escondidas).

Devemos entender em que mundo vivemos. Nesse sentido, nada é muito diferente, mas o ambiente e os veículos de transmissão das informações mudaram. Sim, agora a avalanche de informações é maior e os controles dos pais mais complexos. Mas também o que está mudando, infelizmente, é a utilização da única ferramenta que realmente orienta nossos filhos por um caminho ético e adequado: os valores. Sim, por mais que nos dói admitir, o problema das crianças hoje é a ausência de valores.

Os valentões sempre existiram. Sempre vítimas. Crianças tímidas e outras mais lançadas. Crianças mais inocentes e outras mais 'maduras'. Crianças que aos 10 anos tentaram ver aquele filme impróprio para menores de que tanto falavam os adultos ... ou crianças que se insultavam na esquina e até brigavam (muitos dirão menos ... talvez foi porque muitos casos nunca foram conhecidos).

No entanto, os filhos de antes, aqueles de nós que agora têm filhos, tínhamos algo que está começando a falhar em nossos filhos: uma escala de valores. Algumas crianças nem sabem o que é. O que é perseverança? O que é empatia? Respeito? A quem? A gente se perde em tantas escolas de ensino, tantas teorias, tanto 'direito da criança', tanta liberdade, tanta demagogia ... E além disso, não temos tempo. Hora de realmente conversar com eles, de se interessar pelo que eles pensam, o que sentem ... Hora de brincar com eles (sim, os pais podem e devem brincar com os filhos).

'Coisas claras e chocolate espesso', como dizia a minha avó. Valores. Tudo claro. Alguém com valores, apesar dos seus obstáculos, das suas dúvidas, da sua curiosidade por algumas 'tentações', no final saberá seguir no caminho certo. E para que não haja dúvidas, fica uma lista dos valores que devem sempre reinar no lar:

- Respeito. E aqui eu não estou falando sobre ter medo dos pais. Respeito, não medo. Não se trata de usar castigo físico. O respeito se conquista com vínculo, com exemplo e com respeito. Mas também com regras e limites muito claros. Sem dúvidas. Esta é a norma e o período. Os filhos farão com que os pais permaneçam firmes em suas decisões e não percam credibilidade. E, claro, respeito os outros. Respeito por seus iguais. Que eles finalmente entendam que 'não faça aos outros o que você não quer que eles façam a você'. Que simples E sim, pais de filhos 'chinchones': constantemente incomodar ou incomodar o outro também é uma forma de agressão e desrespeito. Também insultante e depreciativo.

- Empatia. É verdade que há crianças que já têm mais empatia do que outras. Eles são mais sensíveis ao seu ambiente. Outros, porém, mais introvertidos, se retiram mais em seu mundo. Mas a empatia pode ser estimulada. Use muito a comunicação. Mas a comunicação de emoções. Talvez as pessoas com pouca empatia o sejam porque têm, no fundo, um problema de reconhecer e canalizar emoções. Pratique e exercite a inteligência emocional. Sim, seu filho deve enfrentar todas as emoções: você deve deixá-lo ficar triste, zangado, frustrado, com medo e, claro, alegria.

- Tolerância. Seu filho não mora sozinho no mundo. Ele deve aprender desde tenra idade a viver com outras pessoas. Tolerância e respeito pelas diferenças (sim, opiniões também) são essenciais. Com certeza, muitas vezes seu filho saiu da escola reclamando de um colega pelo seu jeito de ser. Bem, aí está você. Se a reclamação não for por comportamento agressivo, se é só porque ele não gosta do jeito que brinca ou do jeito que fala ... se é porque não gosta da sua maneira de explicar as coisas ... aí está você para explicar que é um dever respeitar o jeito de ser dos outros. Sim mas.

- Coerência. Você não pode exigir algo de seus filhos que você não cumpre. Ou peça uma coisa e no dia seguinte outra totalmente diferente. Use o senso comum.

- Sinceridade. Se você for o primeiro a mentir para seu filho, ele entenderá que mentir é aceitável. Acima de tudo, você deve fazer com que ele entenda que a honestidade faz você se sentir bem consigo mesmo e com os outros. Isso também o ajudará a ganhar respeito.

- Gratidão. Ser grato ajudará seu filho a fortalecer a amizade e a ser mais valorizado. E você já sabe que a melhor forma de incutir esse valor é pelo exemplo. Você pode sugerir ao seu filho que comece a agradecer aos amigos o que fazem por eles através de desenhos, mensagens de agradecimento ... Você verá o resultado que ele tem.

- Humildade. Muitos dos problemas de hoje, relacionados à violência infantil, têm a ver com arrogância, falta de humildade. São crianças que desejam desesperadamente chamar a atenção por causa de uma tremenda falta de afeto ou porque foram tão superestimadas e superprotegidas que realmente acreditam que estão acima das demais. Cuidado. Ninguém é mais ou menos. E todos nós cometemos erros. A grandeza está em saber reconhecê-los, o que nada tem a ver com abaixar a cabeça em submissão absoluta. É o que seu filho deve entender.

Definitivamente, existem muitos outros valores importantes: esforço, perseverança, paciência ... todos são importantes. Mas talvez, para a convivência com os outros, os que destacamos sejam os mais essenciais.

Não espere que a escola cuide de tudo isso. Não são eles. É você. Você é quem deve ensinar seu filho a respeitar, tolerar e mostrar empatia para com os outros. Quando eles são pequenos, você pode usar o jogo. Brinque com ele e ensine-lhe alguns valores por meio de jogos.

Quando eles forem mais velhos, aproveite o vínculo que você criou desde pequeno. Eles te admiram, te amam e não querem te decepcionar. Ensine-os pelo exemplo e você terá um longo caminho a percorrer.

Você pode ler mais artigos semelhantes a O problema das crianças hoje é a ausência de valores, na categoria de Valores Mobiliários On-site.

Vídeo: Pacheco - Moleque part. Marília Mendonça (Outubro 2020).